APES SE SOMA À LUTA DAS MULHERES NO DIA 8 DE MARÇO

12/03/19

“O melhor de nós

Sempre encontra caminho

Se não mais em nós, nas outras

Nas milhões de outras

Que nos garantem voz

memória e permanência”

(Joana Machado)

Em mais uma edição da Greve Internacional de Mulheres, o 8MJF reafirmou, no dia 8 de março de 2019, a luta por uma sociedade igualitária. Em um ato político, realizado na Praça da Estação de Juiz de Fora, as representantes de coletivos feministas, sindicatos, partidos políticos e movimentos sociais, disseram, juntas, um basta a todas as formas de violência contra as mulheres: patrimonial, patriarcal, econômica, física, psicológica e simbólica. Em diversas falas, as militantes denunciaram os aspectos da Reforma da Previdência, que irão prejudicar especialmente as mulheres.

A militante, membro do 8M JF, Mariana de Almeida, explica que “o 8 de Março é uma data histórica de extrema importância para a luta feminista e neste ano, teve um significado ainda maior de resistência aos ataques do governo Bolsonaro e seu projeto que ameaça a vida da população trabalhadora, especialmente as mulheres, negros, LGBTs, indígenas e quilombolas. Buscamos construir na cidade o chamado da Greve Internacional de Mulheres, tendo adesão das técnico-administrativas da UFJF. É fundamental que essa data sirva de exemplo para a construção das lutas que virão ao longo do ano e que exigem ampla unidade contra a retirada de direitos”.

Na manifestação, as experiências de vida e de morte de mulheres assassinadas pelo Estado Brasileiro foram rememoradas em uma performance realizada pela atriz Denise Santos, denunciando a violência. A artista é integrante do Grupo de Artes Cênicas dirigido por mulheres negras, As Ruths. 

A presidente da Apes, Marina Barbosa, na ocasião, firmou o compromisso da Apes com a luta das mulheres e no enfrentamento à reforma da previdência: “Nesse momento, a reforma da previdência, que é um ataque brutal aos direitos da classe trabalhadora, vai mais duramente para cima das mulheres, pois ela vai impedir claramente que a gente possa assegurar um direito conquistado pela luta histórica de mulheres e homens ao longo dos últimos séculos. A Apes se compromete em manter firme a sua ação nessa luta unitária e vai todos os dias atuar, dentro da sua categoria e fora dela, para que a gente possa fortalecer essa unidade, fortalecendo as nossas instâncias, chamando a juventude, atuando junto com todas as mulheres e todos os homens que querem construir essa resistência e uma sociedade justa, sem exploração, sem o feminicídio e sem o patriarcado. Juntos, construindo esse enfrentamento, nós vamos conquistar a vitória.”

Em seguida, as mulheres subiram na tradicional Marcha em direção ao Parque Halfeld, onde se uniram ao bloco Filhas de Elza para fortalecer a resistência feminista em Juiz de Fora. Outras atividades se realizaram na data que marca a luta das mulheres. Pela manhã, foi oferecido, às trabalhadoras que passavam pelo centro da cidade, um café da manhã com muita conversa e apoio. Sobre o café, você confere aqui:
https://www.apesjf.org.br/apes-participa-de-cafe-da-manha-das-trabalhadoras-organizada-pelo-8mjf