Roda de conversa refletiu necessidade de resistência e luta

28/03/19

A APES organizou na quarta feira, dia 27, na UFJF, e na quinta feira, dia 28 de março, no IF Sudeste MG, a primeira Roda de Conversa, abordando a questão da reforma da previdência e da liberdade de ensinar. O evento teve como convidados a Professora Eblin Farage, Secretária Geral do ANDES-SN,  e o Advogado Leonardo de Castro, Assessor Jurídico da APES.

A professora Eblin traçou um contexto histórico dos ataques à educação que levaram ao atual retrocesso que o país vive na área. As tentativas de construção de uma escola que dê consciência crítica tem hoje não só a resistência de setores conservadores da sociedade, mas do capitalismo como um todo, já que não interessa, aos setores dominantes, dar visibilidade a grupos e categorias marginalizadas. Para o sistema é importante que negros, índios, quilombolas, população ribeirinhas e outros segmentos sejam invisíveis.

A professora argumentou, que, neste contexto, é preciso entender que o capitalismo repensa sua atuação, no sentido de garantir seus altos níveis de exploração, transformando tudo em mercadoria, inclusive a educação. Assim, o projeto escola sem partido, apesar de sua gravidade, não é a única nem a mais importante ação nesse sentido. A destruição do caráter público da educação, por meio do aumento das Parcerias Público Privadas, de projetos como  Escola Domiciliar e a interferência de empresas privadas na formulação de projetos pedagógicos, livros e formação docente, traçam um conjunto de ataques que tentam manter a aparência pública de escolas, com grande teor de privatização.

Esse cenário traz ainda a fragmentação da luta dos trabalhadores, o que facilita a retirada de direitos e os ataques à educação. Assim, professores e professoras  têm o desafio de mostrar à sociedade que a liberdade de ensinar e de aprender não é uma reivindicação corporativa, mas um direito de toda a sociedade de obter o conhecimento construído socialmente. Ela destacou a importância do próximo Encontro Nacional de Educação para reorganização dessa resistência, na construção da luta e de um projeto classista para a educação.

O doutor Leonardo de Castro, fez uma análise detalhada do atual projeto de reforma da previdência que Bolsonaro enviou ao Congresso Nacional, direcionando suas explicações ao modo como os Servidores Públicos Federais serão afetados nas questões do aumento da  contribuição, na piora das exigências de idade e tempo de contribuição, pensões por morte etc. Em breve o material será organizado em um documento para conhecimento de professores e professoras.



Acompanhe abaixo a íntegra da Roda de Conversa – ou veja na página da APES no facebook