SemanApes

Recesso

A APESJF informa que não haverá expediente no sindicato no dia 30/04 (segunda-feira) em virtude do recesso da UFJF e do IF Sudeste MG. As atividades retornam ao normal no dia 02/05 (quarta-feira).


Reunião do GT de Carreira não avançou

O ANDES-SN, governo e demais entidades do setor da educação se reuniram no dia 25/04 para dar continuidade aos trabalhos do GT Carreira, estabelecido no acordo emergencial firmado em 2011.

Como definido na reunião anterior (19/4), foram debatidos a estrutura da carreira – níveis e classes -, progressão e enquadramento. O ANDES-SN apresentou uma síntese de sua proposta, argumentando os motivos e experiências anteriores que levaram a entidade a propor a carreira do professor federal com 13 níveis, 2 anos de interstício e 5% de steps, com relação entre piso e teto de 3,1 e com uma linha só no contracheque.

Leia Mais


 


Relator mantém índice de 8% do PIB para a educação

O relator do Plano Nacional de Educação (PNE – PL 8035/10), deputado Ângelo Vanhoni (PT/PR), apresentou na tarde do dia 24/05 a sua segunda proposta de substitutivo ao projeto. Como era esperado, ele manteve a mesma proposta apresentada em dezembro do ano passado de que seja destinado 8% do Produto Interno Bruto (PIB) para educação num prazo de dez anos, sendo 7,5% em investimentos diretos. Ao definir esse percentual, o relator deixou de ouvir setores da sociedade que defendem mais recursos imediatos para a educação, como a “Campanha pelos 10% do PIB já!”, da qual o ANDES-SN faz parte.

Leia Mais


Conif defende carreira única para docentes

A carreira docente foi pauta da 23ª Reunião Ordinária do Conselho Nacional das Instituições da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica (Conif), realizada no período de 17 a 19 de abril, em Curitiba-PR. Após intenso debate, o Pleno reiterou apoio à unificação das carreiras do Ensino Básico, Técnico e Tecnológico (EBTT) e do Magistério Superior (MS).

Leia Mais


APESJF ganha ação na justiça contra Sul América

Os professores da APESJF, por meio de sua assessoria jurídica, tiveram mais uma vitória na justiça. Depois de quase sete anos desde que a ação foi impetrada contra a Sulamérica Seguros, gerenciadora naquele momento do plano de saúde dos associados, a justiça determinou que a empresa reembolse os docentes pelos valores gastos com procedimentos medico-hospitalares realizados no final de 2004. Aqueles que foram prejudicados pela situação deverão entrar em contato com o sindicato pelo número 32151286 para se informarem dos valores que foram depositados em conta.

Na época, os médicos credenciados na rede Sulamérica, em disputa com a empresa, reivindicavam correção na tabela remuneratória passando a cobrar dos associados os procedimentos realizados. Estes valores não foram reembolsados integralmente, colocando os docentes como os maiores prejudicados pelo cabo de guerra que se formou entre as partes.

Neste contexto, em fevereiro de 2005, a APESJF entrou na justiça contra a Sul América Seguro Saúde S/A, requerendo que ela, em respeito ao contrato celebrado, fosse condenada a fornecer atendimento gratuito pela rede credenciada e, ainda, reembolsasse integralmente os valores despendidos pelo grupo segurado com os atendimentos realizados dentro da própria rede de médicos e instituições referenciados pela seguradora.

Ainda que o contrato firmado com a Sul América tenha sido extinto em 2007 e que não exista hoje qualquer vínculo jurídico entre aquela seguradora e a APESJF, a justiça determinou que os valores pagos na época deverão ser reembolsados.


Quem tem medo da (Comissão da) Verdade?

No dia 24/04, com o auditório da Faculdade de Comunicação lotado, o membro da Rede Nacional de Advogados Populares, Aton Fon Filho, e o militante do Levante Popular da Juventude, Renan Santos, deram início ao debate sobre o regime militar no país organizado pelo Coletivo Piracema e pelo Grupo de Estudos de Questão Agrária da Faculdade de Serviço Social. O principal foco do evento foi a discussão em torno da implantação da Comissão da Verdade, mecanismo criado por lei que tem como objetivo resgatar as violações humanas cometidas pela ditatura militar, promovendo o acesso às informações e esclarecendo os casos até então perdoados pela Lei da Anistia.

O estudante de Artes e Design e integrante do Coletivo Piracema, Lucas Baptista, ressaltou a importância da discussão no ambiente acadêmico. “Estamos constantemente tentando fazer com que esse espaço público se torne um espaço de construção de conhecimento para a sociedade”, disse.  Segundo ele, o tema debatido é de extrema importância para o contexto atual do país. “As agressões que o estado fazia a quem ía contra ele naquele período, de certa forma se repetem hoje quando vemos a vida do jovem da periferia, por exemplo”, destacou.