02Out: APES esteve presente nas manifestações em Brasília, JF e GV

  • Reading time:4 mins read

A  APES esteve presente mais uma vez nos atos locais e nacionais realizados pelo Fora Bolsonaro. Dessa vez, além da presença do sindicato em Juiz de Fora e em Governador Valadares, representantes também estiveram no ato em Brasília, aproveitando a mobilização contínua contra a Reforma Administrativa. 

Foram registradas 300 manifestações no Brasil e em outros 17 países. Organizadores avaliam que os atos ganharam maior amplitude com a adesão de mais siglas partidárias.  Se fortalecem assim as pautas pelo impeachment do presidente, em defesa da vida, pela ampla vacinação, em defesa dos serviços públicos, contra as privatizações e contra os cortes na educação. 

Em Brasília, a concentração começou às 15h, no Museu Nacional. Em seguida, os manifestantes seguiram em uma caminhada pelo Eixo Monumental (Esplanada dos Ministérios), que foi finalizada na Rodoviária do Plano Piloto. O ato reuniu cerca de 20 a 25 mil pessoas. 

Segundo o professor Leonardo Andrada, representante da APES em Brasília, a avaliação dos docentes presentes foi de que o ato representou um aumento na mobilização e no número de pessoas em relação às manifestações anteriores. “É muito importante mantermos a mobilização e continuar pressionando nas ruas. O receio da base governista em colocar a PEC 32 mostra que só com organização e mobilização, conseguiremos barrar o avanço do projeto de destruição dos serviços públicos, de retirada de direitos e desmonte do Estado brasileiro. Ao mesmo tempo, é claro que a defesa desses pontos só pode ser garantida com a derrota completa do governo Bolsonaro, e o bolsonarismo não se limita ao presidente. Portanto, é nas ruas que derrotaremos esse projeto que precariza as condições de trabalho, inviabiliza os serviços públicos e drena os recursos da classe trabalhadora, em favor dos ricos. Precisamos intensificar a mobilização e garantir que a cada novo ato fique evidente a força do movimento sindical e popular”, argumentou.

Para a professora Lisleandra Machado, também presente ao ato, o tom da manifestação foi de urgência na retirada de Bolsonaro do poder. “As pessoas estavam agrupadas por meio de sindicatos, partidos, coletivos, juventudes, e usavam camisetas, sons, panfletos e cartazes. Tivemos dois caminhões, e os discursos foram no sentido de ‘não esperar 2022’ e muitas falas contra a PEC 32. Deputados federais, presidentes de partidos, representantes e dirigentes sindicais, dirigentes de juventudes e representantes de coletivos marcaram presença. A palavra de ordem do ato “Ninguém aguenta mais, Fora Bolsonaro e seus generais” foi repetida por toda a massa”, relatou. 

APES em panfletagem na rodoviária de Brasília

Registro da concentração em Brasília

Em Juiz de Fora, organizadores avaliam que foi um um grande ato, dando sequência a luta nacional e local pelo Fora Bolsonaro, com um quantitativo semelhante à manifestação anterior. A concentração foi no Parque Halfeld e uma passeata seguiu pela Avenida Rio Branco e pela Avenida Getúlio Vargas, finalizando na Praça da Estação. Importante destacar a manutenção do movimento Fora Bolsonaro, com ato bastante expressivo dentro deste movimento iniciado em maio deste ano. Durante sua fala na manifestação, o presidente da APES, Augusto Cerqueira, destacou a crítica ao momento em que se dá a volta às aulas presenciais, num cenário de cortes na educação e sem qualquer adequação de infraestrutura nas escolas públicas. “Nossa defesa é de um retorno presencial seguro, com investimento, adequação, e não colocando em risco trabalhadores e a população”, afirmou Augusto. “A responsabilidade [deste cenário crítico] é, principalmente, da política genocida do governo Bolsonaro, que estabeleceu a educação como inimiga, portanto, não configura entre suas prioridades. Na realidade, a prioridade é a privatização do setor da educação”, concluiu o presidente da APES.

Confira alguns registros da participação da APES no ato em Juiz de Fora.

Fotos: Estela Loth.

Em Governador Valadares houve ações de panfletagem em diferentes pontos da cidade – no Mercado Municipal, no Mergulhão, no Jardim Perola e em São Pedro) e a APES viabilizou a circulação de um carro de som. Na cidade, o mote principal das ações foi a denúncia dos preços altos no governo Bolsonaro e o não à Reforma Administrativa. 

Confira os registros da Frente Brasil Popular GV, do PCB Governador Valadares e Maloka Socialista.