ANDES e APES publicam Moção de apoio às trabalhadoras e trabalhadores do Hospital Universitário de Brasília

  • Reading time:3 mins read

Moção de Apoio da APES às trabalhadoras e trabalhadores do Hospital Universitário de Brasília (HUB)

            Na última terça-feira, 20 de março, servidores do Hospital Universitário de Brasília (HUB), foram impedidos, por decisão liminar, de realizar uma manifestação. Em caso de descumprimento, a tropa de choque da polícia militar seria imediatamente acionada para conter os manifestantes. Além disso, o Sindicato das Trabalhadoras e Trabalhadores da Fundação da Universidade de Brasília (Sintfub) seria multado em R$ 50 mil. O protesto foi organizado pelo Sintfub, e tinha como objetivo reivindicar a adequação da jornada de 30 horas aos servidores do Hospital Universitário de Brasília.
A Associação dos Professores de Ensino Superior de Juiz de Fora (APESJF) manifesta aqui seu apoio ao direito das trabalhadoras e trabalhadores do HUB aos plantões com 30 horas semanais. Manifestamos também o repúdio à repressão ao movimento.
Outras entidades que queiram apoiar a ação do Sintfub poderão enviar moções para sintfub@unb.br e reitoria@unb.br.

Juiz de Fora, 21 de março de 2018.

 

            NOTA DO ANDES-SN EM APOIO AOS E ÀS PROFISSIONAIS DE SAÚDE DO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO DE BRASÍLIA (HUB)

            Mais uma vez o direito básico de manifestação está sendo impedido por policiais. Hoje, no Brasil, os sindicatos progressistas, os movimentos sociais e a sociedade organizada que lutam por melhores condições de vida vêm sendo ameaçados por ordens emanadas daqueles que estão no poder e que tentam, de todas as formas, calar as vozes dos oprimidos e dos explorados que são os trabalhadores. O fato se repete agora no Hospital Universitário de Brasília (HUB) onde os e as profissionais de saúde estão reivindicando seus direitos referentes à carga horária. Em função disso, a Tropa de Choque da Polícia foi acionada para impedir essa manifestação. A conjuntura é de violência aos direitos básicos dos cidadãos e das cidadãs. Há um aprofundamento da perseguição àqueles e àquelas que lutam pela vida, o que inclui emprego, moradia, terra, transporte público dentre outros aspectos. A cada manifestação a mão pesada da polícia comandada por autoridades passageiras cai sobre a cabeça de cada um. A perda de direitos promovida pelo governo ilegítimo do Temer vem, a cada dia, se agravando direta ou indiretamente, seja pela implementação das contrarreformas como a trabalhista, a lei da terceirização, a lei do teto dos gastos e outras. Também, a intervenção militar no Rio de Janeiro, a ameaça da privatização da Petrobras, da Água, dos Correios, da Educação e de outros bens, direitos e serviços. O ANDES-SN manifesta-se na defesa dos direitos e presta sua solidariedade às trabalhadoras e aos trabalhadores da saúde do HUB que estão em uma mobilização na luta pelos seus direitos Resistência e Luta tem que ser as consignas que nos movem nesse período de arbítrio e barbárie no qual o Brasil está imerso. Brasília, 20 de março de 2018