APES se reúne com administração superior da UFJF para discutir ERE e PISM

  • Reading time:3 mins read

A diretoria da APES se reuniu na manhã de hoje, 18 de janeiro, com a administração superior da UFJF, para levar à Reitoria demandas de professores e professoras do Colégio de Aplicação João XXIII a respeito do Ensino Remoto Emergencial. A audiência foi marcada após reunião realizada pela APES com docentes do colégio, ainda em 2020.

Estiveram presentes no encontro a presidente da APES, professora Marina Barbosa, o diretor da APES professor Augusto Cerqueira e a Secretária Geral da UFJF, professora Bárbara Simões.

Condições de Trabalho

Na ocasião, a professora Marina Barbosa recuperou o processo que levou à necessidade de agendamento da presente reunião. Marina informou à nova Secretária Geral que a APES realizou uma reunião em dezembro de 2020 com docentes do Colégio João XXIII, com a presença do assessor jurídico do Sindicato, Leonardo de Castro. Tal encontro aconteceu após diversos relatos apresentados em assembleias da entidade, nas reuniões do Conselho de Representantes e por telefone, nos quais docentes informaram sobre situações constrangedoras e invasivas ocorridas nos ambientes virtuais durante o ensino remoto, e que têm exposto docentes a condições de trabalho inseguras e estressantes.

Em seguida, o professor Augusto Cerqueira detalhou exemplos mencionados pelos docentes do Colégio João XXIII sobre fatos específicos ocorridos durante as atividades remotas. Diante das situações relatadas, a APES apresentou à Secretária Geral Bárbara Simões a necessidade da UFJF:

1) Intensificar a comunicação da instituição em relação ao apoio às condições de trabalho e de saúde oferecidas pela instituição.

2) Criação de uma comissão específica para o recebimento de questões relativas ao ERE.

3) Divulgar/estabelecer o caminho institucional para o tratamento de questões relativas a invasões às aulas síncronas e agressões aos professores e professoras.

4) Buscar ações preventivas quanto ao mau uso dos instrumentos de comunicação entre a escola e as famílias, através do estabelecimento de regras claras de uso e de respeito aos professores e professoras. Tais regras devem ter ampla divulgação.

5) Estabelecer uma comunicação institucional em defesa de professores e professoras e do colégio.

PISM

Em relação ao Programa de Ingresso Seletivo Misto (PISM), a APES apresentou a demanda dos professores e professoras do Colégio sobre o seu adiamento. A APES também reforçou que a marcação de datas do PISM foi realizada sem um debate com a comunidade universitária, por meio do Conselho Superior.

A posição apresentada leva em consideração as demandas apresentadas por docentes da base, que relatam grandes prejuízos aos processos de ensino-aprendizagem no contexto da pandemia do coronavírus e, também, a grave situação na qual se encontra a cidade de Juiz de Fora em relação à pandemia, que esta semana retornou para a Onda Vermelha do Programa Minas Consciente, após os altos índices de contaminações, mortes e ocupação dos leitos de UTI apresentados desde o final de dezembro e agravados em janeiro. 

UFJF

A Secretária Geral da UFJF, Bárbara Simões, se comprometeu a relatar a reunião ainda hoje para a Reitoria da universidade. E informou que uma nova reunião será agendada para informar à APES o retorno dado pela administração superior.