APESJF participou do Encontro Intersetorial

  • por

 O VII Encontro Intersetorial do ANDES-SN, realizado em Brasília, nos dias 25, 26 e 27 de outubro  contou com a participação  de 144 docentes, entre diretores nacionais do ANDES e delegados de 62 Seções Sindicais. Duas mesas discutiram a Concepção Organizativa do ANDES, a cargo de Márcio Antônio de Oliveira e Luiz Henrique Schuch;  e a Atuação do ANDES no Âmbito da Luta Educacional e na Organização dos Trabalhadores, a cargo de Paulo Rizzo. Ao final das mesas, realizou-se o debate democrático sobre o tema, com resultados levados às plenárias organizadas no domingo. 
                O encontro intersetorial do ANDES reúne docentes das instituições federais, estaduais e municipais, além das particulares, filiados ao Sindicato Nacional e não tem caráter deliberativo. “Mesmo assim, o evento conseguiu identificar os grandes problemas que o sindicato e suas seções têm a enfrentar. O fato de não ser deliberativo nos permitiu projetar cenários bastante interessantes sobre os nossos desafios. Mostra que o ANDES-SN dá mais um passo na realização de um Congresso com uma análise realista e projeta um plano de lutas consequente. Num congresso deliberativo, a discussão, que já se iniciou e foi aprofundada neste encontro, vai evidenciar a vitalidade de nosso sindicato em compreender, o melhor possível, a conjuntura atual e se posicionar de forma séria e responsável”, disse Joacir Teixeira de Melo, Secretário Geral da APESJF, presente ao encontro.

Professor Rubens Luiz Rodrigues (Regional Leste) e Joacir Teixeira (APESJF)

Durante os debates, temas importantes fizeram parte das discussões, como, por exemplo, a história do ANDES e sua trajetória na relação com o Movimento dos Trabalhadores; a concepção de vida sindical do ANDES, que se  constituiu em sólidas ações internas e externas; os novos desafios do sindicato, como as novas características de sua base; a atuação das seções sindicais multi campi; a capacidade de manter uma representação a partir das decisões pela base, as questões salariais, de carreira e de sobrecarga de trabalho;  como ser um protagonista consequente da CSP – Conlutas; como ampliar o debate das questões educacionais para além do ensino superior, e como o ANDES pode atuar frente a uma conjuntura tão desfavorável.