APESJF vai à Justiça para garantir progressão de docentes

  • por

Os professores do IFET/JF devem ficar atentos já que a APESJF  deverá entrar  na justiça contra a ação da reitoria do Instituto que pretende manter sua decisão no caso das progressões dos docentes. Nesta quarta feira, 18/05, a diretoria da APESJF se reuniu com o reitor do IFET/JF, quando solicitou que a decisão administrativa de suspender a progressão por titulação concedida aos novos professores fosse revista, tendo em vista o impacto negativo, sob todos os aspectos, especialmente o psicológico, que tal medida causará na comunidade acadêmica, mesmo naqueles não atingidos por ela, mas que se solidarizam.

Os docentes alegaram ainda que os gestores públicos não deveriam se ater somente aos aspectos jurídicos e às determinações dos órgãos controladores da burocracia estatal e que medidas drásticas como essa deveriam ser tomadas somente quando todas as possibilidades, principalmente as provenientes de negociações políticas, estivessem esgotadas. O reitor informou, no entanto, que, do ponto de vista da administração do IFET, se tal medida não fosse tomada agora, os prejuízos dos docentes poderiam ser maiores ainda. “Assim sendo, o único caminho que nos resta para tentar garantir, de imediato, sua revisão, é o caminho judicial. Assim os professores filiados ao sindicato e que foram atingidos por essa medida deverão ficar atentos, pois, a qualquer momento, podem ser chamados a apresentarem documentos ou cumprirem alguma exigência para o ingresso da ação. Solicitamos ainda aos companheiros que são filiados ao SINASEFE que tomem semelhante iniciativa, o mais rápido possível”, informou o professor Paulo Ignácio, vice-presidente do sindicato.

RAD

Quanto à proposta de Regulamentação da Atividade Docente (RAD), que está sob Consulta Pública, a APESJF entregou, ao Reitor, documento elaborado pela Comissão formada na reunião do corpo docente do Campus Juiz de Fora. Nele os docentes solicitam a suspensão dos trâmites previstos para a referida proposta, expõem as razões pelas quais o corpo docente do Campus Juiz de Fora rejeitam a regulamentação e propõem, caso se pretenda construir um instrumento para auxiliar a administração na tomada de decisões, a formação de uma comissão multicampi com representantes escolhidos por seus pares.

Ponto

Quanto à questão da exigência da assinatura do ponto para controle de freqüência dos professores, os docentes entregaram ao Reitor um parecer jurídico da Assessoria Jurídica da APESJF que afirma ser plausível e defensável uma ação, da parte da Administração do IFSUDESTEMG, que dispense também os professores da Carreira de EBTT, assim como já ocorre com os professores do Magistério Superior, dessa exigência, que, na visão do sindicato é descabida e extemporânea. O Reitor ficou de avaliar essa possibilidade.

Proposta de Carreira do ANDES-SN

Foi feita também uma defesa detalhada da proposta de carreira docente do Andes, junto ao reitor, solicitando ao final que o conselho superior do IFET manifeste apoio formal a tal proposta na próxima reunião. O reitor convidou a diretoria da APESJF a estar presente nesta reunião.

Professores do IFET terão liberdade de escolher o próprio Plano de Saúde

Sobre plano de saúde, o reitor e a diretora de gestão de pessoas relataram que o IFET não vai contratar nenhuma operadora de plano de saúde, e assim cada servidor individualmente poderá solicitar o ressarcimento de suas despesas com plano de saúde, bastando comprová-las por meio de documentação própria.

Clique aqui para baixar o documento entregue ao Reitor do IFET  sobre o RAD

Clique aqui para baixar o documento da assessoria jurídica da APESJF sobre a questão do ponto dos docentes