Assembleia aprova paralisação no dia 24 de maio em protesto contra a retirada de direitos – Veja as deliberações

  • Reading time:6 mins read
Assembleia aprova paralisação no dia 24 de maio em protesto contra a retirada de direitos
                Professoras e professores da UFJF e do IF Sudeste MG, reunidos em assembleia, na manhã dessa quinta feira, 18 de maio,  decidiram paralisar suas atividades no dia 24 de maio, em protesto contra as reformas da previdência e trabalhista. Ficou decidido também o apoio às manifestações denominadas “Ocupe Brasília” com o envio de representantes à capital federal para participação nos protestos que estão marcados para esta data.  Os docentes entenderam que as representações da  APES,  tanto no Fórum Sindical e Popular, quanto nas instâncias do ANDES-SN, devem lutar pela realização de nova greve geral já, como necessidade urgente para a vitória contra os ataques aos direitos. Também devem pautar nestes espaços o chamado ao desenvolvimento do debate sobre a luta para enfrentar um novo golpe dentro do golpe que é a realização de eleições indiretas, e para tanto considerar  as alternativas de eleições diretas já, antecipação das eleições de 2018, novas regras, dentre outros elementos que concorrem para este debate.
A assembleia debateu também a Comissão de Saúde da APES que sofreu modificações em sua composição. Foi retirada a necessidade de um membro docente/médico como efetivo e manteve-se o número de seis integrantes, com mandado de dois anos com possibilidade de reeleição, cujo período coincide com o mandato da diretoria eleita. O nome do Professor Agostinho Beghelli Filho foi aprovado pelos docentes para compor a comissão, que deve definir um calendário de reuniões e Assembleia Geral para tratar da sinistralidade.
Sobre o problema da redução salarial dos docentes aposentados, a professora Marina Barbosa explicou a situação à assembleia e informou os procedimentos adotados, em que mais de 100 professores e professoras, sindicalizados e não sindicalizados, estão recebendo assistência jurídica. A APES vai lutar na justiça contra a imposição do ressarcimento de valores e pelos direitos deste segmento da categoria. Na sexta feira, a APES se reúne, na parte da tarde, na sede da APES, com todos os afetados pela medida.
A assembleia aprovou ajuda financeira aos docentes da Universidade Estadual do Rio de Janeiro, Universidade Estadual do Norte Fluminense e Universidade Estadual da Zona Oeste, além de uma moção de apoio aos professores dessas instituições que sofrem com atrasos em seus salários.
Docentes em assembleia na sede da APES na manhã dessa quinta feira 

 

Artistas protestaram contra a retirada de direitos

No final da tarde de quarta feira, 17 de maio, músicos e poetas de Juiz de Fora marcaram mais um protesto contra as reformas da previdência e trabalhista, nas escadarias do Cine Theatro Central. O evento teve a organização do Fórum Sindical e Popular


Músicos e poetas se revezam nas escadarias do Cine Theatro Central para protestar contra as retiradas de direitos trabalhistas

Confira nota política da Diretoria do ANDES-SN

Nota política da Diretoria do ANDES-SN
A intensificação da crise do ilegítimo Governo Temer

O reingresso na cena política da classe trabalhadora, explicitado na greve geral do dia 28 de abril, acirrou a crise brasileira que vive mais um capítulo protagonizado pelas disputas de poder entre as frações burguesas. Pressionado pela força das movimentações da classe trabalhadora, que alteraram a correlação de forças na direção de dificultar a continuação da aprovação das contrarreformas, sobretudo após a greve geral de 28 de abril, setores da burguesia junto com a mídia corporativa se adiantam para tentar mudar as peças de transmissão de suas demandas em tempos de crise.

O ANDES-SN tem levantado a bandeira do “Fora Temer” conjugada com a estratégia da greve geral, apostando e construindo na reorganização da classe trabalhadora como único sujeito social capaz de reverter os rumos desastrosos que o neoliberalismo reforçado pela política de conciliação de classes tem conduzido à sociedade brasileira. Neste momento de instabilidade, não podemos hesitar, temos que estar nas ruas com nossas bandeiras de forma organizada e unitária, reforçando o grito de “Fora Temer”, convocando uma nova Greve Geral mais forte, agora de 48h, e defendendo os direitos da classe trabalhadora.

Avaliamos que, nesse momento de acirramento da crise, é fundamental estarmos nas ruas, nos atos pelo Fora Temer e contra as reformas, convocados pelas centrais sindicais e movimentos sociais para essa quinta-feira (18 de maio) em várias cidades do país, seguindo o nosso histórico de unidade de ação. Sobretudo, devemos nos organizar ainda mais para a construção do #OcupeBrasília no dia 24 de maio na direção de ampliar a convocação de uma nova e urgente greve geral!

O ANDES-SN e a CSP-Conlutas conclamam aos trabalhadores e trabalhadoras a intensificar as lutas.

A hora é agora!
Fora Temer!
Derrotar as contrarreformas trabalhista, da previdência e a terceirização
Nenhum direito à Menos!

 

Diretoria nacional do ANDES-SN
Brasília, 18 de maio de 2017