Assembleia define posicionamento da APES no Consu diante do retorno presencial na UFJF

  • Reading time:4 mins read

Professoras e professores da UFJF e do IF Sudeste MG, reunidos em assembleia virtual no final da tarde de quarta-feira, 29 de setembro, deliberaram sobre o posicionamento da APES no Conselho Superior da UFJF diante das recentes decisões tomadas pela instituição sobre o retorno das atividades presenciais. 

Neste sentido, docentes reafirmaram a posição contrária ao retorno presencial neste momento, considerando que esta retomada das atividades presenciais somente se dê com ampla vacinação e controle da pandemia no país. Entretanto, diante da decisão tomada no Conselho Superior, que revogou a suspensão das atividades presenciais na UFJF para que a instituição possa se preparar para o retorno gradual às atividades presenciais, os docentes e as docentes fizeram a seguinte deliberação: que os representantes da APES no Conselho Superior da UFJF possam atuar de forma a garantir o efetivo caráter gradual do retorno das atividades presenciais na instituição, levando em consideração, em primeiro lugar, as condições sanitárias e de trabalho. A decisão da assembleia caminhou neste sentido após a análise e o debate da Minuta que estabelece diretrizes para retorno gradual das atividades presenciais da UFJF, que estará em pauta no Consu em reunião desta quinta-feira, 30 de setembro. A Minuta completa pode ser lida aqui. 

Os e as docentes presentes na assembleia ressaltaram elementos contraditórios e frágeis da Minuta, que indica uma abertura irrestrita de todas as atividades da universidade e o fim do trabalho remoto ao estabelecer que docentes e técnico-administrativos deverão exercer suas atividades no âmbito da universidade. A categoria apontou grande preocupação com a alta presença da variante Delta em Juiz de Fora, com os dados de contágio e suspeitas de Covid-19 registrados no durante o semestre suplementar e com a ausência, no texto, do fornecimento de EPI aos servidores, algo que está previsto no protocolo de biossegurança da UFJF mas que deveria estar reafirmando neste texto. Também neste caminho – considerando o ainda preocupante contexto da pandemia e uma tendência à abertura da UFJF – docentes apontaram a necessidade de refutar o termo “ensino híbrido”, mantendo o regime de “ensino remoto emergencial”, sendo que este, assim como o “trabalho remoto”, deve ser colocado como preferencial. 

Também foi apontado que a Minuta não estabelece como se dará a gradualidade deste retorno, transferindo uma decisão administrativa para diretores e diretoras de unidades. Além disso, ressaltaram que a revogação da resolução 10/2020, que foi prorrogada até o dia 4 de outubro, impacta uma série de resoluções posteriores e que dela são derivadas, pois são pautadas na suspensão das atividades presenciais devido à pandemia. Neste sentido, docentes apontaram a necessidade da nova resolução estabelecer explicitamente quais resoluções permanecerão vigentes e com que critérios determinadas resoluções deixarão de valer.

Além de definir a atuação da APES na reunião do Consu, docentes também indicaram a intensificação de ações com estudantes e técnico-administrativos no intuito de fortalecer posicionamentos conjuntos em defesa de toda a comunidade acadêmica.

Reforma Administrativa

Nos Informes, o presidente da APES, Augusto Cerqueira, chamou a atenção para  as mobilizações contra a Reforma Administrativa, que têm sido intensificadas em Brasília pelo ANDES em unidade com entidades representativas nacionais, com a perspectiva da votação da PEC 32 na Câmara nesta semana. A professora Lisleandra Machado, representante da APES em Brasília, relatou como tem sido a presença da militância durante esta semana, com grande pressão contra os parlamentares nos aeroportos e nas áreas externas e internas do Anexo 2 da Câmara, onde ocorrem as Plenárias. Leia mais aqui. Os representantes da APES, Lisleandra Machado e Leonardo Andrada, permanecerão em Brasília para participarem do ato Fora Bolsonaro no dia 2 de outubro.

Augusto Cerqueira informou também que a APES está participando da construção local dos atos do dia 2 de outubro. Em Juiz de Fora, a concentração será às 10h no Parque Halfeld. Em Governador Valadares, a ação está sendo definida pelas entidades em reunião realizada nesta quarta. 

Colégio João XXIII

Também como Informe, a diretora da APES, professora Luciene Guedes, informou que as discussões sobre o retorno das atividades presenciais no Colégio de Aplicação João XXIII estão avançadas. Informou também que o Colégio realizou processo de consulta pública para direção da escola.