Assembleia discutirá campanha salarial e indicativo greve

  • por

A APESJF  realiza assembleia em 05 de dezembro para discutir a proposta do Fórum das Entidades dos Servidores Públicos Federais de adiantamento da parcela de 2015 dos acordos fechados com as várias categorias. O índice seria dado já nos salários em 2014. A proposta poderá ser agregada aos sete pontos (veja abaixo) colocados campanha salarial unificada. A assembleia deverá discutir ainda a possibilidade de uma greve em conjunto com os SPF, condicionada à resposta do governo às reivindicações.
O professor Agostinho Beghelli, vice presidente da APESJF, esteve na reunião do Setor das Federais, que congrega representantes de Seções Sindicais das universidades federais no ANDES, realizada neste final de semana em Brasília, onde o assunto campanha salarial 2014 foi a pauta principal. “Sobre esses dois pontos: a antecipação e a possibilidade da greve, o ANDES não tem posição fechada. Será necessária antes uma consulta às bases. Por isso a presença dos docentes nesta assembleia é muito importante” , aponta Beghelli.
Uma rodada de assembleias deverá discutir as propostas em todo o país e levar a posição ao Congresso do ANDES, que se realiza em fevereiro, em São Luiz-CE. “Até porque nós não assinamos o acordo. Estamos com uma greve suspensa e devemos amadurecer essa discussão para a uma tomada de posição frente às propostas do Fórum”, explica.
Agostinho ressalta ainda que as categorias estão reconhecendo, atualmente, os pontos negativos desses acordos fechados por três anos, baseados em expectativas mínimas de inflação e que acabam por prejudicar os trabalhadores, dadas às instabilidades da economia.

Clique aqui para baixar o relatório do Setor das IFES realizado no final de semana passado em Brasília

Confira abaixo os sete pontos da Campanha Salarial 2014, aos quais poderá ser agregada a reivindicação de adiantamento para 2014 dos índices previstos apenas para 2015 pelos acordos assinados com as categorias

  • Definição de data-base em 1º de maio;
  • Política salarial permanente com reposição inflacionária, valorização do salário base e incorporação das gratificações;
  • Cumprimento, por parte do governo, dos acordos firmados e não cumpridos;
  • Contra qualquer reforma que retire direitos dos trabalhadores;
  • Retirada dos PL (Projetos de Lei), MP (Medidas Provisórias) e Decretos contrários aos interesses dos servidores públicos;
  • Paridade e integralidade entre ativos, aposentados e pensionistas;
  • Reajuste dos Benefícios.

    Cartaz-assembleia-05-dez-2013-para-net