Aumento de casos de Covid-19 gera adiamento do retorno às aulas presenciais em cidades brasileiras

  • Post author:
  • Post category:noticias

A prefeitura de Belo Horizonte (BH) anunciou ontem, dia 26 de janeiro, o adiamento do retorno presencial das aulas para as crianças na faixa etária entre 5 e 11 anos. Segundo o prefeito, Alexandre Kalil (PSD), o objetivo da medida é garantir a imunização deste grupo antes de voltar às aulas. Atualmente, Belo Horizonte encontra-se entre uma das 9 capitais do país, atrás apenas de Brasília e do Rio de Janeiro, que estão na zona de alerta crítico devido ao alto índice de ocupações, por casos de Covid-19, das Unidades de Tratamento Intensivo (UTI), de acordo com a Fundação Oswaldo Cruz. 

A prefeitura de BH afirmou ainda que a capital mineira não irá aderir ao feriado do Carnaval, também como uma postura de proteção e prevenção contra o aumento do número de casos por infecção da Covid-19. Além disso, a partir do dia 31 de janeiro, os moradores da metrópole precisarão apresentar o cartão de vacina, assim como o exame com resultado negativo do coronavírus para frequentarem os eventos.

BH não está sozinha neste movimento de aumento das medidas restritivas para conter o avanço dos casos por Covid-19. O Estado do  Amazonas, após a média móvel de casos atingir 1.000% em janeiro, também anunciou o adiamento do retorno às aulas presenciais da rede pública. Além disso, Paraná e  Ceará também prorrogaram o prazo de volta às atividades educacionais. 

Outro fato importante de ontem, dia 26, foi o anúncio do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Fux, que autorizou a continuidade dos trabalhos remotos pela Corte. Dessa forma, a reabertura dos trabalhos do Judiciário serão retomados no dia 1º de fevereiro de maneira virtual. 

Juiz de Fora mantém calendário

Enquanto isso, a vacinação infantil alcança números ainda baixos em Juiz de Fora. De acordo com a rádio Itatiaia, do dia 20 ao dia 26 de fevereiro, menos de  5000 crianças foram vacinadas. A meta da Prefeitura é vacinar 50 mil crianças. Segundo informações da Prefeitura Municipal de Juiz de Fora, o calendário de volta presencial está mantido, com início das aulas marcado para o dia 07 de fevereiro e não será facultativo. A Secretária de Educação afirma que  “O calendário deste ano será mantido conforme o planejado, garantindo assim, os 200 dias letivos e as 800 horas de atividades escolares conforme a legislação vigente”. 

“Essa é uma decisão que gera preocupação para a categoria docente, tendo em vista que, com 100% de estudantes nas salas de aula, será impossível cumprir os protocolos sanitários e manter as medidas necessárias para evitar o contágio, colocando em risco toda a comunidade escolar”, afirma Luciene Guedes da direção da APES.