Bolsonaro agora ataca organização sindical

10/01/19

O governo Bolsonaro, após uma série de medidas contra os trabalhadores, agora investe contra a capacidade de organização sindical. Foi publicado, no dia 09 de janeiro, o decreto n 9.662/2019 que, em síntese, dispõe sobre as atribuições do Ministério da Justiça e Segurança Pública. O referido decreto traz medida inusitada ao submeter o Registro Sindical à competência do Ministério dirigido pelo ex juiz Sérgio Moro. A APES vem alertar para o caráter fascista da medida, que tenta colocar rédeas na organização dos trabalhadores, por meio da criminalização dos movimentos sociais. “Na visão do atual governo, a questão sindical parece ser vista como tema relativo à segurança pública e não ao mundo do trabalho. Precisamos ficar atentos a esses movimentos e nos unir em torno de nossas entidades”, disse Augusto Cerqueira, da Direção da APES.Clique aqui para baixar a nota técnica da CSP Conlutas a respeito da medida