Confira todas as informações do SemanAPES On Line

  • por
SemanApes

Apuração determina realização de 2º turno na UFJF

Após um intenso trabalho de apuração e computação dos votos, com término às 4h da manhã dessa sexta feira, a Comissão Eleitoral da UFJF divulgou o resultado oficial da Consulta à Comunidade Acadêmica para provimento dos cargos de Reitor e Vice Reitor da UFJF para o quadriênio  2016/2019:

 

Este resultado determina que haverá segundo turno para a definição entre as chapas:

Chapa 1 – Reconstruir a UFJF
Reitor – Marcus David
Vice – Girlene Alves da Silva
Chapa 3 – Competência e Respeito: Caminhar com Responsabilidade
Reitor – Dimas Augusto Carvalho de Araújo
Vice – Hélio Antônio da Silva

 

A Comissão informou ainda que a seção 40 não foi computada ainda neste resultado por impossibilidade de se verificar a condição dos votantes junto aos devidos orgãos, para cumprimento do  Regimento Eleitoral. A decisão, acordada entre as chapas e a Comissão Eleitoral, foi adotada pelo fato de que, qualquer que seja o percentual dos votos dessa seção, não alterará o resultado final.

Acompanhe abaixo mais detalhes:


 

Confira as fotos da apuração

À medida que as urnas eram abertas e os votos contados, os boletins eram emitidos e colocados numa planilha, que era projetada num telão do lado de fora da APES e disponibilizada no site da Comissão Eleitoral

 

APES terá delegação representativa no 35º Congresso do ANDES-SN

Cortes nos orçamentos das IFES e universidades estaduais serão discutidos durante o evento

A APES vai enviar uma delegação de oito docentes ao 35º Congresso do Andes que se realiza cidade de Curitiba (PR) entre dias 25 e 30 de janeiro. Durante toda a semana, cerca de 500 professores de universidades, institutos federais e universidades estaduais de todo o país se reunirão na Universidade Federal Tecnológica do Paraná (UTFPR), para discutir a conjuntura internacional e nacional e definir as políticas prioritárias do Sindicato Nacional para 2016.

Sob o tema central “Em defesa da Educação Pública e Gratuita e do direito dos trabalhadores”, os representantes das seções sindicais do ANDES-SN aprovarão ainda os planos de lutas específicos de cada setor. Na pauta, a discussão sobre o corte nos orçamentos dos institutos e universidades federais e estaduais, a privatização da educação, o ataque aos direitos dos trabalhadores e aos serviços públicos, a repressão aos movimentos sindicais e sociais, além de debates relacionados à ciência, tecnologia, políticas sociais, entre outros.

De acordo com o presidente do ANDES-SN, Paulo Rizzo, o congresso anual da entidade, instância máxima de deliberação da categoria, é um momento importante para a reflexão e discussão sobre educação, as condições de trabalho dos docentes, a conjuntura e os desafios para a classe trabalhadora.

“Este será mais um ano de muitas lutas e o objetivo do congresso é preparar os professores para esses enfrentamentos. Devemos ter o aprofundamento do ajuste fiscal e da retiradas de conquistas históricas dos trabalhadores, conforme já anunciou o novo ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, que já assumiu o cargo sinalizando uma nova reforma da Previdência e a continuidade da política de arrocho”, afirmou Rizzo, lembrando que durante o 35º Congresso os docentes definirão as lutas centrais e as pautas de reivindicações da categoria para 2016.
Confira o Caderno de Textos e o Anexo ao Caderno

Serviço
35º Congresso do ANDES-SN
Tema: Em defesa da Educação Pública e Gratuita e do direito dos trabalhadores
Data: 25 a 30 de Janeiro de 2016
Local: Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR) – Campus Curitiba / Sede Centro
Endereço: Av. Sete de Setembro, 3165 – Rebouças – CEP 80230-901 – Curitiba (PR)

Servidores ligados automaticamente ao FUNPRESP podem pedir cancelamento da adesão

          Todos os servidores que tomaram posse no serviço público federal a partir do dia 5 de novembro de 2015 serão automaticamente inscritos no Funpresp, a partir da data de posse do servidor no serviço público. Com a sanção da 13.183/2015, o governo federal tornou OBRIGATÓRIA a adesão dos servidores públicos federais ao Funpresp, que até então era facultativa. Esses servidores podem pedir o cancelamento da adesão a qualquer momento, através dos departamentos de recursos humanos das instituições públicas.

Se o cancelamento for realizado dentro do prazo de 90 dias, contados a partir da data de posse do servidor no serviço público, o servidor terá suas contribuições restituídas de forma integral.A adesão ao fundo de pensão privado, sendo opcional por direito, não pode, de uma hora para outra, tornar-se obrigatória. O servidor público tem o direito de decidir por não aderir. O novo texto da lei fere o princípio constitucional da facultatividade, que é base de qualquer previdência complementar!