Consu da UFJF aprova atividades presenciais em cursos da área de saúde

  • Reading time:2 mins read

Consu da UFJF aprova atividades presenciais em cursos da área de saúde

 O Conselho Superior da UFJF aprovou na quarta-feira, 2 de junho, a Minuta que organiza e estabelece os parâmetros e marca uma data para o retorno às atividades presenciais de determinados cursos da área de saúde. Os cursos foram assim considerados pela reitoria e por uma maioria presente na reunião, por estarem com suas atividades completamente paralisadas na pandemia, e por dependerem de atividades práticas não adaptáveis a modalidade de ensino remoto.  Após um longo debate realizado em 3 reuniões, e após mudanças no documento apresentadas majoritariamente pelo Sintufejuf, foi autorizado o início do semestre suplementar em julho para os cursos de medicina, enfermagem e odontologia, após todas as etapas de adequação previstas no planejamento, como adequações de infraestrutura, aquisição de EPIs, mapeamento de autodeclaração e de vacinação de servidores, entre outras.

De acordo com as informações do represente da Apes na reunião, professor Leonardo Andrada, os representantes do Sintufejuf no CONSU solicitaram a retirada de pauta deste debate, por entenderem que tal medida atenta contra as medidas de segurança sanitária, mas esta proposta foi rejeitada pela maioria do conselho. Diante disso, o Sintufejuf propôs outras mudanças. Colocadas em votação, as propostas do sindicato de condicionar o retorno à vacinação e de testagem regular foram rejeitadas por 37 votos a 9. 

Em relação ao cronograma aprovado, Leonardo Andrade afirma que a data de início depende da definição das regras sanitárias da cidade e da possibilidade do oferecimento da proteção ampla de TAE, docentes e discentes.

“Estamos atravessando um dos piores momentos da pandemia no país, com níveis de contaminação inéditos e um número inaceitável de mortes diárias. Soma-se ainda o progressivo aumento das aglomerações devido à flexibilização das medidas de isolamento por parte de estados e municípios. Nesse contexto, a APES manteve-se firme na defesa da vida e, portanto, contrária à possibilidade de retorno de aulas presenciais na instituição, respeitando a decisão deliberada em Assembleia.” disse Augusto Cerqueira da diretoria da APES

Acesse a Resolução do Consu aqui