Consulta Pública Reitoria UFJF: confira como foi o debate em Governador Valadares

  • Reading time:3 mins read

O segundo debate do processo de Consulta Pública para Reitoria da UFJF foi realizado na tarde de ontem, 16 de setembro, na Faculdade Pitágoras em Governador Valadares. A comunidade acadêmica do campus da UJFJ em GV teve a oportunidade de conhecer e discutir as propostas da chapa “Unidos pela UFJF”, composta por Marcus David e Girlene Alves. Pela Comissão Organizadora da Consulta Pública (COCP), compuseram a mesa os representantes Agostinho Beghelli (APES) e Flávio Sereno (Sintufejuf). Assim como no primeiro debate, o evento foi transmitido ao vivo pela APES e pelo Sintufejuf .

Os candidatos inscritos na consulta apresentaram inicialmente um histórico de sua atual gestão, iniciada em 2016, e apresentaram os princípios norteadores da atual campanha. Entre eles, a professora Girlene Alves destacou o fortalecimento de políticas afirmativas, da autonomia universitária e do financiamento público da instituição.

Em seguida, docentes, TAE e estudantes presentes puderam fazer perguntas à chapa. Um dos pontos colocados pela plateia foi a necessidade de se reforçar uma identidade de pertencimento à UFJF em relação ao campus de GV. A chapa se comprometeu a dar continuidade ao trabalho de aproximação entre os dois campi, reconhecendo a necessidade de melhoria da comunicação entre a administração superior e a comunidade acadêmica de GV.

Nas palavras finais, o professor Marcus David reforçou a importância da escolha direta como garantida da democracia e autonomia nas instituições federais de ensino.

Flávio Sereno encerrou a atividade lembrando que, quando foi criado o campus de Governador Valadares, já eram organizados processos de escolha direta e paritária para reitoria. “Isto nem sempre foi assim. Isso foi conquistado pelo movimento sindical, pelo movimento estudantil. O direito de escolher seus dirigentes é muito importante e que foi conquistado, ninguém nos concedeu. Um direito que está sendo mantido e que nós precisamos lutar por ele. Participar do processo, vir aos debates, encaminhar as perguntas, votar nos dias 8 e 9”, afirmou.