Entidades do Fórum de Unidade de Ação dão peso à Marcha

  • por

No último sábado (2), 180 pessoas reuniram-se na Quadra dos Metroviários de São Paulo para a plenária estadual de São Paulo do Espaço de Unidade de Ação. O objetivo foi organizar a marcha do dia 24 de abril e poder servir de exemplo para outros estados organizarem fóruns a fim de preparar esta importante atividade.
Entre os presentes estavam dirigente sindicais, delegados sindicais de base e ativistas de diversas categorias, misturados a estudantes e militantes de movimentos populares, negros, LGBTT e de mulheres.

A mesa foi composta pelo presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos e funcionário da GM, Antonio Macapá; pelo presidente do Sindicato dos Metroviários de São Paulo, Altino Prezeres e pelo diretor da Federação dos Empregados Rurais Assalariados do Estado de São Paulo (Feraesp) e presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Descalvado, Abel Barreto. Ao todo, foram realizadas três horas de debate com informes da situação das várias categorias e setores sociais, e da disposição de organizar a Marcha à Brasília para o dia 24 de abril.

A posição de que é preciso lutar contra a flexibilização da CLT que propõe o Acordo Coletivo Especial (ACE) e contra a Reforma da Previdência que propõe o Fator 95/105, empurrando a aposentadoria para depois dos 70 anos de idade foi unânime. Também foram denunciados projetos de flexibilização e terceirização, bem como a precarização que já existe em diversas categorias.

O próximo passo é distribuir os materiais (panfletos, cartilhas, cartazes) que foram confeccionados pela CSP-Conlutas e divulgar amplamente nas bases o que está sendo tramado no Congresso Nacional.

* Com edição do ANDES-SN

 

Fonte: CSP-Conlutas