Governo genocida mais uma vez atrasa a vacinação e será responsável por mais mortes

  • Reading time:3 mins read

Depois de 20 dias da aprovação da ANVISA, e somente após intensa pressão da sociedade, entidades e autoridades sanitárias, o governo federal anunciou, na quarta-feira, dia 05 de janeiro, que a vacinação de crianças entre 5 e 11 anos deve começar na terceira semana de janeiro.
O Ministério da Saúde espera que o primeiro lote de doses chegue ao país em 13 de janeiro e que sejam enviadas para a aplicação nos municípios a partir do dia seguinte. Inicialmente serão 20 milhões de doses da farmacêutica Pfizer.
Não haverá necessidade de prescrição médica ou autorização dos pais, apenas caso estes não estejam presentes no momento da vacinação.
O Ministério da Saúde informou também que haverá prioridade para crianças com comorbidades e com deficiência, indígenas, quilombolas e crianças com deficiência permanente ou com doenças preexistentes, além de crianças que residem com pessoas de grupos de risco para Covid-19, e sugeriu a aplicação em uma ordem de idade das mais velhas para as mais novas.
Inicialmente o intervalo entre as doses será de 2 meses, o que poderá ser mudado a depender da disponibilidade de doses adquiridas pelo governo, que apresenta números insuficientes, de acordo com especialistas em vacinação.
“Mais uma vez a tragédia se repete. O governo fez de tudo para não vacinar as nossas crianças e agora com um atraso enorme, divulga um calendário de vacinação absurdo, frente ao calendário escolar que prevê a volta às aulas em fevereiro. Ou seja, serão mais mortes em decorrência da política deliberada do governo contra a vida, a educação e a ciência. Não podemos aceitar que frente a essa nova onda de covid, nossas crianças retornem às aulas presenciais sem o processo de imunização através da vacinação e com a pandemia totalmente fora de controle no país devido ao processo de reabertura que foi realizado por governos, prefeituras e instituições em todo o país, mesmo frente às novas cepas mais transmissíveis do vírus e aos estudos que indicavam esse cenário.”, disse Augusto Cerqueira da direção da APES.


Fora de controle

O governo federal perdeu o controle do número de internações causadas pela Covid.  As últimas informações  do Sivep-Gripe (Sistema de Informação de Vigilância Epidemiológica da Gripe) remontam ao dia 29 de novembro. 
na prática os números principais da epidemia no país são desconhecidos oficialmente. Sem esses dados é impossível conhecer a pressão exercida pela Covid 19 sobre o SUS, podendo ocasionar um colapso no sistema, agravando ainda mais a situação que já é de nova explosão de casos.