Greve Geral: entidades reforçam mobilização contra a Reforma da Previdência

  • Reading time:3 mins read

  Entidades representativas de diversas categorias definem a luta contra a Reforma da Previdência como eixo central da ação em 2018 e enfatizam a necessidade urgente de construção de uma Greve Geral.

        CSP-Conlutas

        Na primeira reunião da nova Secretaria Executiva Nacional, a CSP-Conlutas deliberou, no dia 11 de janeiro de 2018, a realização de uma forte campanha que visa atentar a população sobre a gravidade da Reforma da Previdência e caminhar na construção de um processo de lutas rumo à Greve Geral. Além disso, a entidade convida as demais centrais sindicais a agendarem uma reunião para a definição de um calendário de mobilizações contra a PEC 287, que tem previsão de ser votada em fevereiro.

        Para a realização dessa campanha, a entidade disponibilizou vídeos e cartazes para serem veiculados em redes sociais, como o publicado no início da matéria. O material completo pode ser acessado aqui.

        Entidades do Judiciário Federal

        Sindicatos dos trabalhadores do Judiciário Federal de onze estados brasileiros assinam uma “Carta Aberta” cobrando de centrais sindicais a convocação de Greve Geral contra a Reforma da Previdência. No documento, as entidades exigem uma reunião para discutir a realização da greve no dia 19 de fevereiro, dia indicado pelo Presidente da Câmara Rodrigo Maia (DEM/RJ) para o início da votação do projeto no plenário.

        “Com todo o ‘andar de cima’ coesionado e usando de todas as armas disponíveis para tentar aprovar a reforma, a classe trabalhadora e todos os movimentos sociais organizados não podem, em hipótese alguma, abrir mão da principal arma de que dispõem para enfrentar os ataques: nossa unidade e mobilização”, afirma o documento, que pode ser lido na íntegra aqui.

        Governo se movimenta para conseguir apoio popular

        Como parte de uma estratégia do governo de conseguir apoio da população para a Reforma da Previdência, o Presidente Michel Temer gravou na última terça-feira, 16 de janeiro, uma entrevista para o programa do apresentador Amaury Júnior, da Rede Bandeirantes. Além disso, Temer também se reuniu com Silvio Santos e prometeu entrevistas em seu programa e no Programa do Ratinho.

        Apesar dos esforços do governo, em uma visita a Washington, o Presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ) mostrou-se desesperançoso com a votação da reforma, que está agendada para o dia 19 de fevereiro. Maia afirmou que, caso os votos necessários não sejam alcançados, a Câmara não votará mais a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 287/2016.

        Fábio Ramalho (PMDB-MG), que está substituindo Rodrigo Maia na presidência da Câmara, acredita que não será possível convencer os parlamentares a votarem a favor da reforma até fevereiro. Para Ramalho, existe a possibilidade de a votação ser adiada para 2019.