Mais de cinco mil vão às ruas no Rio em defesa do ensino público

  • por

Os mais de 500 participantes do 32º Congresso do ANDES-SN se uniram, nesta terça-feira (5), aos mais de 4 mil professores da rede básica e fundamental e aos estudantes para denunciar a mercantilização da educação pública. A Marcha em Defesa do Ensino Público reuniu cerca de cinco mil participantes, que, entoando diversas palavras de ordem como “Da copa eu abro mão, eu quero é mais dinheiro para Educação!”, realizaram o tradicional trajeto pela Avenida Rio Branco, partindo da Candelária rumo à Cinelândia.

 

A manifestação foi organizada pelo Fórum em Defesa da Educação Pública (FEDEP), em parceira com o ANDES-SN, e foi aprovada na agenda de atividades do 32º Congresso do Sindicato Nacional durante a plenária de instalação.

O ato marcou a retomada, em 2013, das manifestações de rua em defesa da educação pública de qualidade, por melhores condições de trabalho e contra a privatização do espaço público. “É muito significativo para o ANDES-SN participar desse momento sinaliza a unidade dos trabalhadores da educação. Os docentes organizados no sindicato vieram unir forças, numa demonstração de que nossa mobilização e disposição para a luta continua, assim como os motivos que nos levaram a protagonizar uma das maiores greves da história do nosso sindicato no ano passado”, destacou Marinalva Oliveira, presidente do ANDES-SN.

Marinalva ressaltou ainda que o ato no Rio de Janeiro integra a jornada de lutas dos servidores públicos e é uma preparação para a Grande Marcha que será realizada em Brasília, no dia 24 de abril. “Estamos organizando através do Fórum dos Servidores Federais e das entidades que compõem o Espaço de Unidade de Ação, uma grande manifestação contra a retirada de direitos dos trabalhadores, em defesa do espaço público, dos povos originários, da reforma agrária entre outros”, comentou.

A coordenadora geral do Sepe-RJ, Gesa Correa, considerou muito importante a unidade construída no ato em torno de um eixo comum que é a denúncia do processo de mercantilização da educação pública, tanto no ensino básico e fundamental quanto no superior, em instituições das três esferas públicas: municipal, estadual e federal.
Gesa contou que os trabalhadores da educação do Rio de Janeiro conseguiram unificar a pauta de reivindicações em torno de pontos comuns e que o documento foi protocolado nesta terça, dando início à campanha 2013 da categoria. “Foi muito importante realizarmos esse ato hoje”, disse a representante do Sepe-RJ, lembrando que o dia foi marcado por manifestações em diversas cidades fluminenses.

O Congresso

O 32º Congresso do ANDES-SN continua nesta quarta-feira (6) no Campus Fundão da UFRJ. Pela manhã, os congressistas se reúnem nos grupos de trabalho para da continuidade à discussão do de lutas gerais do sindicato. A tarde, participam da plenária que irá deliberar sobre a centralidade da luta da entidade para 2013.

Os números oficiais de participantes serão divulgados durante a plenária da tarde, uma vez que por problemas de deslocamento de algumas delegações, o prazo para credenciamento foi prorrogado até o final do dia desta segunda.

O primeiro levantamento parcial já registrava mais de 500 inscritos entre delegados, observadores e membros da diretoria nacional.

 

 

 

 

 

Fonte: ANDES-SN