Pressão contra a PEC 32 é intensificada em Brasília

  • Reading time:3 mins read

Representantes da APES relatam como tem sido as mobilizações para barrar a Reforma Administrativa na Câmara

As manifestações em Brasília contra a Reforma Administrativa seguem intensificadas nesta semana, na expectativa de barrar sua aprovação na Câmara. É o que relatam os representantes da APES presentes nos atos nacionais, Leonardo Andrade e Lisleandra Machado. 

As ações começaram nesta terça, no aeroporto da capital federal, onde, segundo Lisleandra, os manifestantes acompanharam a chegada dos parlamentares e demais presentes no vôo com as palavras de ordem: “Diga Não à PEC32”, “Diga Não à PEC da Rachadinha”, “Diga Não à PEC da Corrupção” e “Se voltar não volta!”. De acordo com os representantes da APES, a ação teve grande participação, com a presença de diversas organizações sindicais além do ANDES e Fasubra, como Sindlegis, Sinasefe, Fenajufe

Condsef, Confetam, CNTTS, entre outras. Conforme Leonardo Andrade, “foi formado um grande corredor desde a sala de saída de desembarque até a rua, e os dois lados estavam tomados por membros de sindicatos de várias categorias (professores, técnico-administrativos, agentes da justiça, policiais, Correios), de todo o canto do país. A ação foi das 7h às 11h, com muita pressão, palavras de ordem, instrumentos de percussão, caixas de som com músicas produzidas para a atividade.”

Na parte da tarde, o grupo seguiu para o Anexo 2 da Câmara Federal, onde alguns companheiros permaneceram na área externa e outros conseguiram entrar para a Plenária, mediante autorização. Segundo Leonardo, “permanecemos na Câmara durante toda a tarde, com uma ação parecida com a realizada no aeroporto, mas mais densa e intensificada, inclusive com um caminhão de som com uma tela de LED onde foi reproduzido um clipe produzido para esta ação. Para a tarde de hoje, vamos novamente para o Congresso, para a área externa do Anexo 2, onde vamos continuar realizando esta pressão hoje e amanhã.”

A PEC 32 não foi colocada em votação até o momento. Neste sentido, Lisleandra avalia que precisamos de “uma maior mobilização, porque eles querem nos cansar, querem nos desmobilizar. Portanto urge a necessidade dos demais servidores, filiados, professores e professoras da APES virem para Brasília também.”

Os representantes da APES permanecerão em Brasília até domingo, participando de todas as ações contra a PEC 32 e, no sábado, 2 de outubro, do grande ato unificado pelo Fora Bolsonaro.