Representantes da APES continuam em Brasília em mobilização contra a PEC 32

  • Reading time:3 mins read
A campanha contra a Reforma Administrativa intensifica a pressão sobre parlamentares, com a crescente presença de servidores públicos de diversas categorias e vindos de todo o país para Brasília. Desde a aprovação do texto-base pela Comissão da Câmara, entidades representativas de servidores públicos, incluindo o ANDES-SN, têm convocado a militância para participarem dos atos e panfletagens no Distrito Federal e das ações nas áreas externas e internas do Anexo II da Câmara dos Deputados, onde a PEC 32 pode ser colocada em votação a qualquer momento.
Segundo o relato da professora Lisleandra Machado, na quinta-feira, 30 de setembro, houve atividades à frente do Anexo II da Câmara e panfletagem na rodoviária de Brasília. Segundo a professora, “a reflexão é unânime: Estamos num momento crucial da luta! Estamos ganhando, haja vista que o governo sequer tem o apoio necessário para pautar a PEC 32. Urge a necessidade de reforçar, nos estados e municípios, a pressão sobre os deputados. Aqui em Brasília, continuaremos nas manifestações para o dia 2 de outubro, como também na próxima semana (segunda e terça), tanto no aeroporto Internacional quanto à frente e dentro do Anexo II da Câmara dos Deputados.”
Segundo Lisleandra, a orientação é reforçar o ato do dia 2 de outubro, fortalecer as mobilizações  #DigaNãoaPEC32 e seu cancelamento na Câmara dos Deputados. Neste sentido, a professora enfatiza a necessidade de incrementar o número de militantes para os atos nos estados e municípios e em Brasília.
            Lembrando que a APES, conforme orientação do ANDES, busca representantes para mobilização contra a PEC 32 em Brasília. Saiba mais aqui. 

Preciso aumentar a pressão e ir às ruas
O professor Leonardo Andrada, da direção da APES, também presente na luta em Brasília, destaca a importância de se manter a pressão política para barrar a proposta: “Ao que tudo indica, tivemos uma vitória parcial. Graças à mobilização e à pressão organizada, a PEC não foi posta em votação, como estava previsto. Alguns deputados, que prestaram seu apoio em nossos atos diários, nos dizem que vários sinais indicam a ausência de votos para aprovação. É preciso estar atento, e não perder de vista que é uma vitória temporária e muito frágil. Isso quer dizer que não podemos baixar a guarda, manter a vigília e continuar fazendo a pressão. Nesse sentido, é muito importante continuar divulgando nas redes o que a pec significa para o funcionalismo público, para a oferta de serviços públicos à população, e porque ela deve ser derrotada. Para intensificar a pressão, todos às ruas no próximo dia 02, pois enquanto esse governo não for derrotado, a PEC 32 é uma ameaça permanente”.


#CancelaReforma. #SeVotarNãoVolta. #QuemVotarPEC32NãoVolta