Reunião com docentes deve acontecer às 17h desta terça

  • por

A secretária adjunta de Relações do Trabalho, Marcela Tapajós e Silva, comunicou ao ANDES-SN, o adiamento da reunião agendada para às 14h desta terça-feira, entre os representantes do governo e os professores em greve.

A reunião havia sido confirmada para o início desta tarde, pelo Ministério do Planejamento. Mas, segundo informações de Marcela Tapajós, os membros do Executivo ainda estão trabalhando no documento que será apresentado aos docentes.

A expectativa é que o governo traga para a mesa de negociação uma nova proposta, com base nas referências apresentadas pelos sindicatos nesta segunda (23) e absorvendo as críticas feitas à primeira proposta do governo.

O Comando Nacional de Greve (CNG) do ANDES-SN apresentou aos representantes dos ministérios da Educação e do Planejamento um documento (leia aqui) no qual explicam por que as assembléias docentes rejeitaram unânime e categoricamente a proposta feita na última sexta-feira (13), que entre outros problemas aprofunda a desestruturação da carreira dos professores federais, leva a perdas salariais e ainda fere a Leis de Diretrizes e Bases da Educação (LDB) e a autonomia universitária, garantida na Constituição Federal.

Há 69 dias em greve, os professores federais decidiram pela paralisação após várias tentativas de negociar com o governo a reestruturação do plano de carreira da categoria.

Em fevereiro de 2011, o ANDES-SN protocolou a sua proposta de carreira junto aos órgãos do governo e após várias reuniões não houve avanço nas negociações. No final de agosto do ano passado, os docentes firmaram um acordo emergencial com o governo que previa a formação de um grupo de trabalho para concluir o processo de reestruturação da carreira até 31 de março de 2012.

Considerando o desrespeito do governo com a categoria, que há tempos também vem denunciando os problemas infraestruturais e de condições de trabalho e estudo nas Instituições Federais de Ensino (IFE) os docentes deflagraram greve. A proposta apresentada no dia 13 de julho foi a primeira feita pelo governo desde o início da paralisação que engloba mais de 95% das IFE em todo o país.

Fonte: ANDES-SN