Reunião conjunta dos Setores do ANDES-SN delibera ações de mobilização da categoria

  • Reading time:2 mins read
A reunião conjunta dos Setores do ANDES-SN deliberou indicar às seções sindicais do ANDES-SN, que ainda não realizaram AG, que deliberem sobre greve sanitária frente à imposição do retorno presencial sem as seguintes condições: Vacina do SUS para todas e todos, com a ordem de prioridades definidas nacionalmente pelo PNI; testagem ampla e rastreamento; Condições de trabalho nas IE e CEFET, com os procedimentos, as adaptações, os materiais e os equipamentos necessários. Além disso, que o ANDES-SN amplie a articulação unificada entre as três categorias das IES para construção da greve sanitária, com divulgação de material informativo sobre o significado da greve sanitária.
Outro ponto importante de mobilização, é que o ANDES-SN crie vídeos e cards com informações sobre a situação da educação básica na pandemia, com base em subsídios das seções sindicais, para apoiar a luta do segmento por condições de saúde para o(a)s, trabalhadore(a)s da educação e de toda a comunidade escolar que se expõe ao risco com as aulas presenciais. Também produza vídeos de denúncia a respeito das condições de trabalho/ensino e aprendizagem de docentes, discentes e servidore(a)s técnico(a)-administrativo(a)s.
Foram aprovadas ainda deliberações sobre o combate à Portaria nº 983 do MEC de 18 de novembro de 2020, como buscar o desenvolvimento de ações conjuntas com o SINASEFE, buscar apoio de parlamentares, ações junto ao CONIF, solicitar reunião com a SETEC. Além da construção de um calendário de lutas e mobilização em fevereiro, em conjunto com as organizações dos trabalhadores e trabalhadoras, contra a Reforma Administrativa e pela vacinação para todas e todos.
Os docentes indicaram também a intensificação da campanha “Reitor(a) eleito(a), reitor(a) empossado(a)”, com informações sobre os desdobramentos/implicações para as instituições onde o(a) reitor(a) empossado(a) não foi o(a) eleito(a).
Houve deliberações ainda em relação à luta pela ampla vacinação, para que haja condições para o retorno presencial e intensificação da defesa dos salários, das carreiras e das condições de trabalho da professora e do professor.Clique aqui para baixar o relatório completo