Sinpro paralisa categoria e se reúne em assembleia para discutir a greve como estratégia de luta

  • Reading time:2 mins read

No dia 17 de maio, às 14h, professoras e  professores da rede municipal de ensino de Juiz de Fora se reuniram em assembleia convocada pelo Sinpro-JF, com paralisação, para debater a greve como uma estratégia para avançar na Campanha Salarial de 2018. Entre as reivindicações da categoria está o reajuste do Piso Nacional, de 6,81%, para todos, além da realização de um concurso público em 2018, e respeito à data-base.
A categoria reivindica o reajuste do Piso Nacional, de 6,81%, para todos. O índice já foi concedido para PRA1 (nível da carreira). Para os docentes, a prática da PJF de conceder reajustes diferenciados, além de ser injusta e de impor perdas salariais, tem destruído o Quadro de Carreira. O sindicato alerta que, se a categoria não reagir, os triênios vão acabar. “Hoje, PRA1, PRA2 e PRA3 já tem remunerações equivalentes. A diferença entre PRA e PRB também caiu de 47,48% para 26,98%.O Quadro de Carreira, conquistado com muita luta, é essencial para a valorização da nossa profissão do município. Defendê-lo é tarefa de todos nós”, avisa o texto no site do Sinpro.
O Magistério Municipal também reivindica o respeito à data-base e exige a realização de concurso público ainda em 2018.