Volta às aulas nas escolas municipais de Juiz de Fora se dá em meio ao aumento de casos de contaminação pela variante Ômicron

  • Reading time:3 mins read

A Prefeitura de Juiz de Fora anunciou, na quinta-feira, que o ano letivo das escolas públicas municipais terá início no dia 7 de fevereiro. O modelo é presencial, não facultativo, ou seja, a presença dos alunos nas salas de aula volta a ser obrigatória na cidade, não cabendo a possibilidade de se manter no ensino on line.

CA João XXIII
A medida afeta diretamente o Colégio de Aplicação João XXIII e é vista pela APES como preocupante, já que, pelo calendário de vacinação, boa parte das crianças vai estar com apenas uma dose da vacina, em proteção parcial, e outro tanto totalmente desprotegido, sem nem mesmo a primeira dose. Tudo isto em meio às duas semanas, indicadas por autoridades sanitárias, como cruciais para a explosão de casos derivados da variante ômicron da Covid 19.
Não há dentro da UFJF, atualmente, discussão sobre a possibilidade de modificação do modelo de volta do ensino presencial, embora a plataforma Busco Saúde tenha detectado uma explosão de casos de covid dentro da comunidade universitária. Além disso, a modificação no protocolo de distância entre estudantes, de 1,5m para 1m, tem sido criticada, como ocorreu na assembleia docente, durante os debates acerca da segurança sanitária na UFJF.
“O que temos é um cenário perigoso, para dizer o mínimo. A volta presencial não está levando em conta o alto índice de contaminação desta nova cepa, o processo de vacinação das crianças com atraso nem as estatísticas alarmantes dessa nova onda de contágio que só cresce, colocando em risco a vida de estudantes, TAEs e docentes”, disse Augusto Cerqueira da direção da APES.

 
IF Sudeste MG modifica datas de retorno presencial
Diante deste quadro, o IF Sudeste MG promoveu mudanças, adiando a volta às aulas em vários campi. No campus de Juiz de Fora, o início das atividades, marcado inicialmente para o dia 25 de janeiro, ficou para o dia 01 de fevereiro.
Segundo o informe do site do instituto, a decisão pela atualização das datas de retorno foi tomada no dia 14 de janeiro e  se deu por conta do avanço de contaminação pelo novo Coronavírus, especialmente pela variante Ômicron. A medida vale para as 10 unidades estipuladas na Portaria nº1.255, de 17 de dezembro de 2021.
“Entre outros fatores, a decisão leva em conta a taxa de contágio em 2,3 e a proporção de leitos UTI SUS, exclusivos para COVID-19, em 54,9%, relativos ao momento atual da cidade de Juiz de Fora. Apesar dos indicadores, a instituição como um todo permanece no Cenário 3, mas caso a análise proposta pelo Plano de Retomada se desse somente no âmbito municipal, haveria até mesmo um retrocesso para o Cenário 02”, informa o site