Voto da Reitoria decide pelo desrespeito ao plebiscito

  • por

Com 29 votos favoráveis, 22 contrários e 1 abstenção, o Conselho Universitário da UFJF aprovou a adesão do Hospital Universitário da UFJF à Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (EBSERH), na tarde/noite de 09 de abril. O posicionamento provocou a indignação de professores, técnicos-administrativos e estudantes que esperavam que o CONSU cumprisse sua tradição democrática e respeitasse o Plebiscito realizado no Hospital Universitário. “A decisão foi antidemocrática. Nós não entendemos a contradição do voto dos cinco Pró Reitores que optaram pela adesão, embora o Reitor Henrique Duque tenha defendido o respeito ao plebiscito e ter se posicionado desde 2011 contra a EBSERH. Estes votos consolidaram a derrota do plebiscito”, afirmou o professor Joacir Teixeira de Melo, representante da APESJF no CONSU.

Outro ponto que causou indignação, foram os vários diretores de unidades da área de saúde, que já haviam referendado o plebiscito no Conselho Diretor do HU, que desrespeitaram mais essa instância deliberativa e votaram pela adesão à EBSERH.

Enquanto a reunião seguia, uma ruidosa manifestação do lado de fora do MAM exigia o respeito à democracia dentro da UFJF. Ao final, membros do Comitê em Defesa do HU, formado por técnicos administrativos, estudantes e professores demonstraram revolta com a decisão do CONSU. Aos gritos de “traidor”, os manifestantes cercaram o reitor cobrando o comprometimento de sua administração com o resultado do plebiscito.

Pouco antes de entrar para a votação a conselheira Cristina Bezerra, da Faculdade de Serviço Social, tinha a expectativa que o CONSU respeitasse a democracia na instituição “já que  a adesão à empresa traz sérios problemas, porque  coloca em risco a autonomia universitária, a indissociabilidade entre ensino pesquisa e extensão e as condições de trabalho e ensino dentro do Hospital Universitário”, resumiu.

O profº Rodrigo de Souza Filho, Diretor da Faculdade de Serviço Social, lamentou a decisão: “Em primeiro lugar o Consu passa por cima da ampla consulta realizada na comunidade do HU, não reconhecendo sua legitimidade. Em segundo lugar, a adesão à EBSERH é um avanço para a privatização e abre espaço para a fragilização de uma estrutura pública e estatal. Assim, perdemos cada vez mais a concepção de universalidade para as políticas sociais no Brasil”, afirmou.

Na avaliação da APESJF  a adesão à EBSERH representa um desrespeito à democracia interna na UFJF, um ataque brutal à carreira dos técnicos administrativos e um perigoso precedente em que o Conselho Superior abre mão da autonomia universitária.

Os técnicos administrativos realizam assembleia nesta quinta feira, 11 de abril, às 15h30 no Hospital Universitário para avaliar o resultado da reunião e planejar os próximos passos. Paulo Dimas, coordenador do Sintufejuf, lamentou a decisão do CONSU que não respeitou o resultado da consulta à comunidade do HU.

100_4042       100_4085