Como foi o “Dia Nacional de Lutas, Mobilização e Paralisação” em Juiz de Fora

  • Reading time:2 mins read

Docentes da UFJF e do IF Sudeste MG paralisaram as atividades docentes ontem, dia 14 de setembro, e promoveram panfletagem com o objetivo de alertar a comunidade sobre os ataques do governo aos Serviços Públicos.
O ato, organizado pela APES em conjunto com entidades e movimentos que integram o Fórum Sindical e Popular de Juiz de Fora, teve também o objetivo de reforçar a luta contra a Reforma da Previdência.
Refletindo o movimento nacional, a manifestação em Juiz de Fora começou pela manhã em atividade chamada pelo Sindicato dos Metalúrgicos através do Fórum. A entrada da siderúrgica Arcelor Mittal foi bloqueada por cerca de duas horas por representantes dos metalúrgicos em conjunto com os companheiros da APES, SINTUFEJUF, SINPRO, MST, CSP-Conlutas, CUT e do mandato do vereador Betão Cupolilo (PT-JF).

Parte do grupo seguiu para a UFJF, onde entidades representantes dos três segmentos da Educação realizaram panfletagem no campus, distribuindo pelas unidades um material informativo sobre as medidas que colocam em risco os serviços públicos. Um boleto simulando uma cobrança de mensalidades aos alunos da UFJF chamava a atenção para as consequências da PEC dos gastos no desmonte das Instituições Federais de Ensino, como privatizações, corte de direitos e congelamento de salários de docentes e técnico administrativos. Foi distribuída para os docentes uma Carta de Demissão para alertar a categoria sobre os riscos para a carreira, e um panfleto convocando os três segmentos para a luta.


Fotos da paralisação na Arcelor Mittal gentilmente cedidas por Márcio Sá Fortes