Deputado bolsonarista apresenta projeto de lei que determina o fechamento de UERJ alegando ‘viés socialista’ da instituição

  • Reading time:3 mins read

O Deputado Estadual Anderson Moraes (PSL-RJ) protocolou, no dia 25 de maio, um projeto de lei na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro, que prevê a extinção da UERJ e a transferência da oferta de vagas a instituições privadas. Em sua justificativa, o político alegou: “nítido aparelhamento ideológico de viés socialista na universidade”

Nas redes sociais, o deputado justifica seu pedido, criticando o gasto de dinheiro público usado para sustentar a Universidade.

Segundo a professora Rosineide Freitas, da UERJ, o deputado já havia invadido o campus da universidade e retirado uma faixa que havia sido colocada no dia 19 de maio, Dia Nacional de Resistência em Defesa da Educação. Na ocasião, o político afirmou que estava “vigilante”.

Em seu perfil no Twitter ele escreveu: “Não podemos mais aturar essa “BALBÚRDIA” nas Universidades Públicas, quantas placas contra o Presidente colocarem eu vou tirar!”

Em um vídeo divulgado pelo ANDES-SN a docente faz um manifesto e relata o ocorrido.

“Nota-se o viés autoritário presente na base de apoio do presidente Bolsonaro, o total descompromisso com a educação e com o futuro do país. Atitudes como esta são inaceitáveis e devem ser expostas e condenadas por todos.”, afirmou Augusto Cerqueira

Segundo a professora Rosineide, na mobilização do dia 29 de maio, com os atos Fora Bolsonaro, as manifestações no Rio de Janeiro devem ecoar a frase “A UERJ fica, a política de ódio sai”.