Governo suspende reunião com servidores em greve

  • por

Um dia antes diz de reunir-se com os representantes das 32 entidades representativas dos servidores públicos federais, muitas em greve, o secretário de Relações do Trabalho, Sérgio Mendonça, enviou nessa segunda-feira (30) para a Condsef um ofício cancelando as reuniões da Mesa Nacional de Negociação previamente agendadas para esta semana. Novas reuniões serão realizadas de 13 a 17 de agosto, segundo o mesmo ofício.

O motivo do adiamento seria a realização de reuniões internas para tratar do processo de negociação em curso. Para a Condsef (Confederação dos Trabalhadores no Serviço Público Federal), o adiamento frustra completamente as expectativas de servidores de mais de 26 categorias em greve em 25 estados e no Distrito Federal.
“Desde o início do ano, o próprio Planejamento trabalhava com o dia 31 de julho como data em que seria possível apresentar respostas concretas às demandas protocoladas pelos servidores em janeiro” lembra a Condsef em texto publicado no site da entidade.

De acordo com o texto, a paralisação dos servidores este ano ocorre, principalmente, para evitar o desfecho do processo de negociações em 2011, quando o governo firmou posição de não conceder qualquer reajuste geral ao funcionalismo em 2011 e 2012 e encaminhou apenas no dia 31 de agosto um Projeto de Lei (PL) ao Congresso Nacional que trouxe embutidos itens que sequer haviam feito parte do processo de negociações específicas. O PL terminou sendo transformado na MP 568/12, que gerou uma série de problemas.

Para Sérgio Ronaldo da Silva , diretor do Condsef, a suspensão é “mais um sinal de que o governo não tem proposta”, já que o final de julho era o prazo fixado pelos negociadores do Palácio do Planalto.

“ O dia 31 de agosto segue sendo o prazo limite que o Executivo tem para enviar propostas ao Congresso. Com o adiamento das reuniões para a semana de 13 a 17 de agosto ficam novamente ameaçadas as chances da categoria de buscar consenso no processo de negociação. Nesse sentido, a Condsef e o Comando Nacional de Greve recomendam mais do que nunca a todas as suas entidades filiadas que ampliem e fortaleçam as atividades previstas para o Dia Nacional de Luta nesta terça, 31, em todo o Brasil ”, argumenta a Condsef.

A pauta geral dos servidores inclui a correção da inflação desde 2010 e a aplicação do crescimento acumulado do Produto Interno Bruto (PIB), o que representaria um reajuste salarial linear de 22,08%, a definição de data base e de política salarial.

A resposta dos servidores às medidas protelatórias do governo será o fortalecimento da greve. Nesta terça-feira (31) serão realizados atos públicos em todo o país em apoio à pauta dos servidores públicos federais.

Com informação da Condsef e da Agência Brasil

Fonte: ANDES-SN