Perspectiva de recomposição para 2012 é quase nula, diz governo

  • Reading time:3 mins read

Em mais uma reunião entre o Fórum das Entidades Nacionais dos Servidores Públicos Federais (SPF) e o Ministério do Planejamento (MP) ficou claro que as negociações serão ‘dolorosas’ e que a perspectiva de recomposição de perdas salariais ainda para 2012 é quase nula.

“Acho que há uma expectativa de construir essa proposta, mas não com efeitos para este ano. Mas com efetividade para 2013 e eventualmente 2014”, declarou Sérgio Mendonça, Secretário de Relações do Trabalho do MP, à imprensa ao final da reunião.

No encontro desta quinta-feira (15), foram discutidos os benefícios sociais dos servidores. Na avaliação de Josevaldo Cunha, 1º vice-presidente da Regional NE 2 do ANDES-SN e representante do sindicato na reunião, pouco se avançou na questão.

“Mais uma vez o governo recebe as entidades, mas pouco propõe em termos de avanço efetivo. E aponta, outra vez, a data de 31 de agosto como limite para as negociações”, conta Cunha.

Um próximo encontro já está marcado para o dia 22 de março, quando serão discutidos os projetos de lei em tramitação no Congresso e que dizem respeito aos SPF. “Acordamos na reunião do Fórum das Entidades em dar ênfase ao PL 2203/2011 nessa discussão com o governo”, disse o diretor do ANDES-SN.

Após a reunião, Mendonça conversou com a imprensa. Em sua avaliação, ainda não existem avanços concretos, mas considera positivo o fato do Fórum e governo estarem dialogando em torno da pauta geral dos SPF.

“Avanços mais concretos ainda não existem, agora, do ponto de vista do diálogo, eu acho que há um grande avanço, que é identificar com as entidades, quais os pontos que eles estão colocando mais ênfase”, avaliou o chefe da SRT/MP.

Em sua opinião, um dos grandes entraves às negociações será o fato da pauta unificada tratar de questões consideradas estruturais pelo Planejamento e ainda apresentar um índice de recomposição salarial que o governo não reconhece. “Há uma diferença na lógica do olhar para as perdas. O governo tem um olhar para isso e eu acho que as entidades têm outro”, observou.

Segundo Mendonça, nos cálculos realizados pelo Planejamento, os servidores federais não acumularam perdas. Ao contrário, todos os SPF tiveram reajustes acima da inflação. “Os estudos que nós temos de 2003 pra frente, que é a partir de quando a gente tem responsabilidade sobre o governo, ou seja, os dois mandatos de Lula mais o mandato da Presidenta Dilma, mostram que todas as carreiras tiveram recomposições acima da inflação”, disse. “Isso por que foram concedidos reajustes e corrigidas distorções”, complementou Marcela Tapajós, secretária adjunta da SRT/MP.

Em relação à retomada das negociações específicas para a reestruturação da carreira docente, Mendonça disse que o MP já realizou uma reunião com o Ministério da Educação e que existe a perspectiva de retomada da agenda de reuniões ainda este mês, mas não de conclusão das negociações.

“Nós vamos ter que repactuar esse prazo. Nós vamos tentar conversar com as entidades para jogar para frente, em função dos acontecimentos que dificultaram o processo”, comentou.

Foto: Sindireceita

 

Fonte: ANDES-SN