Pós-graduação de movimentos sociais recebe Marina Barbosa

  • por

MST 2

O quarto módulo do Curso de Pós-Graduação em Estudos Latino Americanos começou nesta semana, com um debate sobre o projeto de sociedade e de universidade dos movimentos sociais, do qual participaram a professora Cristina Bezerra, da Faculdade de Serviço Social, Neuri Rossetto, coordenação nacional do MST e a professora Marina Barbosa, Diretora Nacional do Andes.

As falas ressaltaram que a presença dos movimentos sociais na universidade é estratégica para o fortalecimento da democracia, para o enfrentamento do capital e para a configuração de um papel social diferente da educação no brasil.

Para a Diretora Marina Barbosa, o papel de dependência que o país desempenha na divisão internacional das forças produtivas determina uma série de características de seu sistema educacional. Para ela, a marca central do ensino brasileiro é “formar letrados com aptidões gerais e especialização técnica. Temos uma marca dada pela absorção do conhecimento elaborado por outros, a constituição das universidades a partir de um conglomerado de unidades isoladas, portanto, com uma dificuldade de constituir uma identidade e só posteriormente formular um projeto e suas características”, analisa. Desta forma, para avançar com o projeto nacional de educação a proximidade com os movimentos e a disputa interna das instituições seria essencial.

O curso é realizado através de uma parceria entre a faculdade de serviço social da UFJF, a Escola Nacional Florestan Fernandes, do MST e o Programa Nacional de Educação para a Reforma Agrária (Pronera).