TAEs fazem paralisação e FASUBRA pressiona Ministérios

  • Reading time:2 mins read

      Trabalhadoras e trabalhadores técnico-administrativos em educação (TAEs) da UFJF realizaram paralisação das atividades e panfletagens em Juiz de Fora e em Governador Valadares na última quarta-feira, 28 de março.
A ação marcou o dia de lutas contra a Reforma da Previdência, em defesa dos Hospitais Universitários (HUs) e contra a intervenção militar no Rio de Janeiro. Assim como grande parte dos movimentos e entidades sindicais e políticos, o Sintufejuf entende que a retirada da Reforma da Previdência da pauta do Senado não pode levar à desmobilização, levando-se em conta que a proposta não foi extinta e, que o cenário segue sendo o de retirada de direitos, de desmonte dos serviços públicos e de ameaça às liberdades.
No mesmo dia, a FASUBRA esteve em reunião com representantes do Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão (MPDG) e do Ministério da Educação (MEC) para exigir a abertura da negociação salarial, discutir a reestruturação da carreira dos TAEs, discutir a orientação normativa 06 que trata da questão da insalubridade nas universidades e para reforçar o posicionamento contrário ao decreto que extinguiu cargos e concursos públicos. O coordenador geral do Sintufejuf, Flávio Sereno, avalia que as negociações em Brasília estão difíceis e com poucas definições. Segundo o coordenador geral da FASUBRA, Gibran Jordão, os representantes dos Ministérios se comprometeram a dar respostas específicas sobre cada tema até a próxima semana. Além disso, uma nova reunião ficou agendada para a última semana de março.

Plenária Estatuária

          De hoje até o dia 4 de fevereiro, a FASUBRA organiza sua Plenária Nacional Estatutária, onde será discutido o Plano de Lutas da Categoria. O evento será realizado no Auditório 3 da Faculdade de Ciências da Saúde, campus Darcy Ribeiro da Universidade de Brasília (UnB). São esperados cerca de 200 delegados representando as entidades de base filiadas à Federação.