“UFJF na Praça” encerra com chamado em defesa da universidade

  • Reading time:5 mins read
Estudantes apresentaram projetos de ensino, pesquisa e extensão na praça. – Foto: Estela Loth/APES

Levando cerca de 500 atividades para o centro de Juiz de Fora, a mostra UFJF na Praça terminou nesta sexta-feira, 28 de junho. Fruto de mais uma parceria entre administração superior da universidade e entidades representativas do setor da educação – APES, Sintufejuf e DCE – o evento foi, ao mesmo tempo, uma reposta aos ataques à universidade pública e um chamado à população na defesa das instituições de ensino.

Projetos que são desenvolvidos cotidianamente por estudantes, professores e técnico-administrativos em educação foram levados para a Praça da Estação em stands, transformando o espaço, durante 5 dias, em um ambiente de produção de conhecimento e divulgação científica. Além de serviços de atendimento diretamente prestados pela UFJF à população – como saúde, atividade física, nutrição, atendimento psicológico, atendimento social em engenharia, assessoria jurídica – diversas pesquisas desenvolvidas na instituição foram para a praça, com o objetivo de mostrar ao público a relevância dos estudos ali desenvolvidos na vida cotidiana.

A Praça tornou-se também palco para atividades artísticas e culturais desenvolvidas pela comunidade acadêmica, abarcando uma diversidade de ritmos, estilos e campos, como teatro, poesia, música erudita e popular, e dança.

Encerramento

As entidades organizadoras avaliariam positivamente a realização do evento e a recepção pela população juiz-forana.  

Márcio Sá Fortes, coordenador do Sintufejuf, destacou que “Um evento dessa natureza hoje é um ato de coragem”. Para Márcio, durante a semana, a universidade se mostrou um pouco para sociedade juiz-forana e da região. “Ela mostrou o quanto é importante a UFJF no ensino, pesquisa, extensão e cultura. Nós transformamos as pessoas, nós transformamos a sociedade, nós somos motores de transformação. Que esse evento se repita mais vezes para que possamos chegar mais perto da população”.

Para Augusto Cerqueira, diretor da APES, “o sucesso desse evento é reflexo do trabalho que fazemos no dia a dia. O que mostramos aqui é o que fazemos diariamente: ensino, pesquisa, extensão, diversidade e alegria, porque acreditamos no valor que nosso trabalho tem. Infelizmente estamos aqui motivados por mais um ataque às universidades públicas, ao ensino crítico e de qualidade. Mas eu quero destacar e relembrar que esta universidade foi construída não por governos, mas continuamente pela nossa luta. Porque somos nós que fazemos a universidade. São professores, estudantes, técnicos, trabalhadores que construíram esse patrimônio da sociedade brasileira. E é por isso que estamos aqui defendendo esta universidade. E a APES, nos seus 40 anos, sempre esteve na luta pela universidade pública”.

O reitor Marcus David destacou o evento como uma resposta do Conselho Superior da UFJF, concretizado pela parceria entre UFJF e entidades representativas, aos cortes orçamentários e às medidas adotadas pelo governo que ameaçam a autonomia de gestão das universidades. “As ameaças as universidade públicas são uma ameaça ao nosso país. Um apelo que faço a toda a comunidade da nossa cidade é se unir à comunidade universitária na luta pela defesa da UFJF e de todas as universidades. As universidades públicas são fundamentais para a mudança histórica desse país, para a mudança da realidade social e econômica do nosso povo”.

Confira a cobertura fotográfica do dia 28 de junho AQUI.

Confira a cobertura fotográfica diária da APES e do Sintufejuf AQUI.

Leia também:

Presidente da APES reafirma compromisso da defesa da universidade na abertura do projeto “UFJF na Praça”

Diversidade da atuação da UFJF marca segundo dia da mostra

Terceiro dia de “UFJF na Praça” apresenta novos projetos à população“UFJF na praça” segue cheio de diversidade para seu último dia de evento